quarta-feira, 27 de junho de 2012

"Tens um mano na tua barriga?"

"Tens um mano na tua barriga?" - entrou de rompante pelo meu quarto. A mãe, internada no quarto ao lado, tentou demove-la. " Não incomodes a senhora! Anda cá!". Mas ela continuava a olhar para mim, de pé, à beira da minha cama de hospital. Olhos azuis, cabelo louro, 4 anos de gente.
"Também tens um mano na barriga?"- insistia. Pego-a ao colo para se sentar aos pés da cama, leve que nem uma pluma. "Cuidado com o meu cateter!". A mãe, pálida e com ar gasto, grávida do mesmo tempo gestacional que eu, a contar-me da leucemia da filha, dos tratamentos de quimioterapia, da gravidez que pode ser uma esperança de vida, de mais vida ainda, o verdadeiro milagre da vida, para a filha que já vive. Das possibilidades de compatibilidade do novo bebé, que entretanto ganha pouco peso no útero, fruto do sistema nervoso da mãe que, internada, não acompanha pela primeira vez, em dois anos e meio, o ciclo de químio da filha.
"Tens um Bobi?"- fita-me, a pequena, de olhos pregados no suporte com rodas que me eleva o soro. E a mãe sorri, gasta e cansada, velha no pico dos seus 26 anos, a aguardar um milagre que são dois, agora. O bebé só tem um rim mas não lhe importa. A doença da filha ensinou-a a racionalizar a realidade. "Vive-se só com um rim, eu quero é que ele nasça bem, mesmo que não seja compatível,. Quero- os aos dois, bem! Percebe-me, não é?" Percebo tão bem.
E a menina canta- me aos pés. Elevo-a no elevador da cama, fica alta no cimo do colchão elevado. "Vou tocar no sol!"- e não parece doente, enquanto escorrega pelas minhas pernas, se ri às gargalhadas e folheia um livro que me ofereceu uma leitora deste blog.
A mãe a insistir que me deixe sossegada, sorriso exausto. Está desempregada, " ninguém dá trabalho a uma mulher que tem que faltar uma semana por mês para acompanhar a filha na quimioterapia". E, agora, internada. O marido teve que meter baixa para a substituir- "o dinheiro da baixa não vem logo no mês em que gozamos a baixa, este mês nao sei como irá ser". A filha, tagarela, dá gargalhadas e, por um momento, o sorriso abre-se, alheio aos problemas. Acaricia a barriga, como que a regar o crescimento do bebé que aí vem.
Falamos dos bebés que esperamos. Chega mámen para a visita, senta a menina ao colo, faz-lhe desenhos a pedido. A mãe elogia o jeito dele para desenhar. Mostro- lhe a fotografia da parede do quarto da Ana, pintada por ele. A menina pergunta se ele lhe pode desenhar uma Kitty na parede. Sorrimos os dois, cúmplices. Hoje toleramos a Kitty. Sim, irá pintá-lá, logo que a mãe regresse a casa. A menina salta de alegria.
Chega o jantar, a mãe e a menina recolhem ao seu quarto, não sem antes a pequena insistir: "Tens um mano na barriga?".
Lembro- me das discussões que temos tido acerca da preservação de células estaminais. Banco Público ou empresa privada? Se colocarmos no Banco Publico e aparecer alguém que precise, a nossa filha fica sem as suas células disponíveis. No Privado as células serão sempre guardadas para ela.
E a menina ali ao lado, a precisar de um transplante de medula. Não pode haver egoísmo na humanidade. Nem umbiguismo. Se a nossa filha fosse compatível, não hesitaríamos um segundo, sabemo-lo com o olhar, as palavras não são precisas.
E, finalmente, respondo "Sim, tenho uma (m)Ana na barriga!". Porque todos os bebés deveriam ser irmãos da menina.
A minha sê-lo-á.

79 comentários:

Só sedas disse...

Pólo, informa-te bem sobre a questão das células porque na realidade, poucos são os casos em que a própria pessoa usufrui delas (esta muito bem explicado, aqui http://paracucaginguba.blogspot.pt/2012/01/o-kit-de-celulas-do-cordao.html). Se tiveres de escolher, escolhe o público porque os privados a garantia é menor. Quem te diz que um banco privado vai durar 10, 20, 30, 40 anos anos? Olha, é como o caso BPN e outros. Vão à falência e não há células para ninguém!

Mariana disse...

arrepiei-me...

Pólo Norte disse...

Só sedas,

Pensei que ficasse claro no post que vou escolher o Publico.

Storyteller disse...

Preservação de células estaminais só faz sentido, como dizes no post, no banco público. :D

Dani disse...

Obrigada por este post e pela forma deliciosa como o escreveste.
Eu aguardo ansiosamente pelo nascimento da minha menina e o mano também, para essa menina é ainda mais importante.
Já estamos de 39 semanas e uns dias (sim, eu sei que não gostas de contar as semanas, mas pelos meses estou quase de 10!!!) e também optei pela doação para o banco público. A minha Leonor vai ser dadora desde que nasce, o que me deixa muito orgulhosa e tenho esperança que ajude alguém a viver.
Beijinho de melhoras Ursa!

carla disse...

Para mim, sem dúvida alguma, fizeste a escolha certa.

Bom dia para vocês

Analog Girl disse...

Fogo, arrepiei-me com essa história.
Não há como esquecer que por vezes somos uns sortudos.
Eu já sou dadora, e um dia que engravide vou optar pelo banco público.
Que tudo corra bem para essa família.

Titanices disse...

Poças, pá! Emocionaste-me outra vez!!! Dá um beijo a essa menina linda de 4 anos que precisa de um mano e vê manos nas barrigas das outras mães (coisa mais linda).

Mary disse...

Hoje vim toda pintada pro escritorio. é o que tar ter reuniões com gente crescida importante, contudo ainda vou ter de ir a casa. A maquiagem não era à prova de agua. Felizmente nunca tive de passar por tamanha angustia mas corta-nos o coração quando um metro de gente nos toca desta maneira. Beijinhos para ti, para a menina dos corãcois e para a mae e para o mano. e para a tua M(ana), por ter a mãe e o pai que tem

menina disse...

Olá polo norte. achas que conseguias o nib da conta da senhora? É que eu gostava de ajudar,nem que fosse com 20€.. é pouco mas é o que posso,e tenho a certeza que a ela lhe ia dar muito jeito. Não é preciso publicar o comentário.

E depois uma pessoa pensa: ai que a minha vida é uma porcaria... devia bater na boca cada vez que penso assim!!!

Maria disse...

Dear Ursa, fiquei mesmo comovida com este texto. Tenho escrito e manifestado a minha opinião em muitos lados, de como possivelmente não quero ter filhos (e na realidade também não sei se posso geneticamente ter e quando fiquei a par desta situação, não "manifestei" vontade de passar por uma série de tratamentos). E nem sequer foi em tentativas de engravidar, foi numa consulta em que eu pretendia dar óvulos para que alguém tivesse a hipótese de engravidar.
A realidade é que sim, eu gostaria muito de ter filhos, 2 ou 3, mas, pensar que uma filha minha pode passar por uma situação desse tipo de doença deixa-me logo inquieta. Pelo sofrimento que ela iria passar. Pelo sofrimento da família. Por todas essas condicionantes. POde ser um pouco de egoísmo (que é), mas é a minha opinião sincera e sem floreados... contudo, não ponho de lado a hipótese de adoptar e de contribuir para a felicidade de alguém. Obrigado ursa, um beijinho*

Lois Lane disse...

Não consigo, sequer, imaginar o sofrimento dessa senhora... Nem medir a força de vontade que ela e o marido têm tido, durante estes dois anos e meio, para enfrentar tal situação... De facto há histórias que nos tocam e que nos deixam a pensar no raio dos sortudos que somos, apesar das pequenas contrariedades do dia-a-dia, de que passamos a vida a queixar-nos... Obrigada por partilhares a história connosco. E se puderes colocar aqui o NIB da senhora, também gostava de ajudar. Grão a grão...

Alexandra disse...

Há pessoas que têm uma força incrível. Arrepia o post. E lá vieram as lágrimas...
Eu não pude escolher o público, pois tenho uma doença crónica daquelas não aprovadas por eles. Tive pena. Também não tinha dúvidas.
beijo grande

tata disse...

fiquei arrepiada até à medula, salvo seja... puta de egoismo o nosso que transformamos problemazinhos de merda em coisas tão grandes...
és divina a escrever rapariga! tudo de bom para a m(Ana)

Ana disse...

Este é um sério candidato a melhor post do mundo! Estou arrepiada... e sem mais palavras... só espero que corra tudo bem com essa familia e claro, com a tua também!

Lady Cat disse...

Xiça Pólo Norte que me emocionas logo pela manhã... A vida às vezes é mesmo complicada!

Titanices disse...

Venha daí o NIB da mãe, vamos todas ajudar um bocadinho!!!

ML disse...

Óh ursa mas como é?! Que texto logo pela manhã... Inevitavelmente chorei, porque essa história é a realidade dura que muitos vivem no silêncio de quartos de hospital, em casa,...

Estou grávida de 22 semanas e hoje pela primeira vez não consegui ir trabalhar de manhã (os meus pés parecem de elefante!) e lendo isto sinto-me uma mariquinhas por não ter ido... no fim de contas sou é uma sortuda!

Desejo do fundo do coração o melhor para essa família e para a tua Ana também.

Ah e o meu bebecas será também um mano para essa e muitas outras crianças. Vai ser dador no banco Público. Sem dúvidas!

Solana disse...

Nem sei o que dizer, de tanto apertado que ficou o meu coração.
beijinho grande

Unknown disse...

Sem dúvida um post do coração, só tu para nos emocionares assim logo pela manhã, não há dúvida que sendo mãe ou não ninguém consegue ficar indiferente a este tipo de situações em que a vida é madrasta, perguntamos nós que mal fez esse anjo para ter uma sentença de vida assim?, que injustiça, esses pais e outros que passam pelo mesmo... ninguém merece assistir ao sofrimento de um filho, esse amor incondicional que sentimos que nos dá forças para tudo e mais alguma coisa.
Infelizmente o raio da doença não escolhe, não se compadece, aparece e pronto..., a esse anjinho de caracóis, aos pais de todos os meninos doentes, para ti que superes rapidamente todos esses episódios menos bons do teu estado de "graça", fica aqui o meu abraço do tamanho do Mundo, desejando as melhoras, porque tb sou Mãe!
Carmen

JustViVaLaVida! disse...

Mais uma vez apelaste à lágrima.
Não digo nada em relação à tua decisão porque nunca tive (ainda) de me informar de tais coisas, mas pelo que percebi é a escolha mais acertada.
Quanto à menina e ao mano, desejo-lhes que as estrelinhas do céu os iluminem :)
Beijinho a ti e à tua (m)Ana!

Porque um dia me perdi... disse...

É isto que te define ...de louca a toda coraçao.
Como mae nao pude deixar de me arrepiar partilhar com as colegas de escritorio e verter uma lagrima.

há vidas dificeis...

NOTA: A tolerancia à Kitty é merecida. Fará certamente o coraçao dessa menina sorrir :)

Lias disse...

Raios ursa, que nos pões a todos de voz embargada logo pela manhã com este texto fantástico. Sem sensacionalismos, mas com tudo nu e cru como nos tens habituado. De facto, apenas o banco público faz sentido, por isso aplaudo a tua escolha. Se houver forma de ajudar essa mãe, é divulgares que estou certa que esta comunidade não te iria desiludir. E quanto a vocês ursinhas, estamos a torcer para que tudo corra bem convosco :)

Maria.Fonseca disse...

A minha prima nasceu para salvar o irmão de apenas 2 anos, felizmente conseguiu. E diz que hoje é das coisas que mais gosta de se lembrar e que se orgulha imenso é que salvou o seu irmão. Espero que daqui a uns anos um dos "manos" dessa menina linda possa se orgulhar do mesmo. O sofrimento das crianças é das maiores injustiças e crueldade desta vida, desejo sinceramente as melhoras dessa pequena grande lutadora. Muita força para a mãe e para o pai e uma sorte imensa para essa menina.
Espero bem que o seu marido pinte a Kitty como prometeu, essa menina merece tudo :) mas depois mostre-nos.
Uma das coisas que mais me custa é não poder ser dadora, mas quando for mãe certamente que o meu filho será, sem hesitações :)

Maria.Fonseca disse...

A minha prima nasceu para salvar o irmão de apenas 2 anos, felizmente conseguiu. E diz que hoje é das coisas que mais gosta de se lembrar e que se orgulha imenso é que salvou o seu irmão. Espero que daqui a uns anos um dos "manos" dessa menina linda possa se orgulhar do mesmo. O sofrimento das crianças é das maiores injustiças e crueldade desta vida, desejo sinceramente as melhoras dessa pequena grande lutadora. Muita força para a mãe e para o pai e uma sorte imensa para essa menina.
Espero bem que o seu marido pinte a Kitty como prometeu, essa menina merece tudo :) mas depois mostre-nos.
Uma das coisas que mais me custa é não poder ser dadora, mas quando for mãe certamente que o meu filho será, sem hesitações :)

Licas disse...

Caí aqui de para quedas através do prémio mãe blogger. Parabéns pelo blog, pela escrita maravilhosa, pela força de vontade e pela forma como encara a vida. Não é para todos. É para quem realmente acredita que a bola é para chutar para a frente. Para quem é suficientemente forte e não abre a porta a tristezas e dissabores. Parabéns, mais uma vez. Por tudo, e pelo bebé que carrega no ventre. Vai ser um bebé feliz. Porque tem uma mãe fora de série.

Joana disse...

Lindo :)

alva quase transparente disse...

Que força e que amor!!
Alguma forma de podermos ajudar a aliviar o peso do dia-a-dia? Não é por caridade, é por achar que pessoas assim merecem uma ajuda para se poderem dedicar a 100% a amar os seus filhos, sem a perturbação de pensar em como vai ser o fim do mês e etc.

Se puder de alguma forma ajudar, nem que seja enviar um presente a essa linda menina, gostava muito.


obrigada pela partilha.

Alva

Frutinha disse...

Bem fiquei com as lagrimas nos olhos. A verdade é que ninguem sabe para o que está guardado e aquela rapariga podia ser uma de nós.
é doloroso ver pessoas com doenças e que sofrem mas é ainda mais doloroso ver isso em crianças. Doi.
Acho que fizes-te a escolha certa.. Um dia nós por eles, outro dia, eles por nós.

Ana Pessoa disse...

oh meu Deus, que aperto no coração :(

as celulas do meu estao no privado, na altura não existia publico

Ana Pessoa disse...

ah, e já agora, que tal organizar uma cena qualquer de solidariedade (tipo poder se ajudar com dinheiro ou cartões de hipermercado - estilo continente) para dar à familia?

podiamos fazer o cabaz e campanha Ursa Maior!!!!

Ruben Alves disse...

És uma senhora Pólo.... :)

Princesa disse...

Tenho pena, muita pena que as empresas de criopreservação consigam vender verdades do 1%. Não falo de cor, sou profissional na área da ciência. Tenho uma filha de quase 10 meses. Doei as células estaminais ao banco público. Porque é a melhor opção e destino a dar a algo tão precioso. Sim, posso ter o infortúnio de a minha filha precisar dos 1% que as dela lhe poderiam servir. Mas se o infortúnio me bater à porta na forma dos 99%, irei agradecer do fundo do coração as células que outros doaram.

Um grande beijinho, em especial para essa menina. Que o cancro, essa doença silenciosa e cruel, não leve a melhor...

R.L. disse...

Obrigada por seres assim e me fazeres acreditar neste mundo, na bondade, na genuinidade, na esperança e, sobretudo, no amor ao próximo.

Obrigada.

Dreams and Chocolate disse...

Que tudo corra bem com a pequenina e o mano. Beijinho *

м♥ disse...

acho que quando se trata de assuntos tão difíceis como este, não há lugar a egoísmos. como podemos virar-nos para os nossos umbigos quando sabemos que há alguém ali tão perto a precisar de ajuda? É triste, ninguém devia ter que passar por estas coisas.

Margarida disse...

Muito comovente.
Parabéns pela tua escolha. Se todos partilhássemos, o mundo seria um lugar melhor.

Cynthia disse...

Não tenho palavras. Este post é mesmo comovente. Não consigo ficar indiferente a este tipo de coisas, mas especialmente sendo mãe de uma criança aproximadamente dessa idade. Até arrepia!

*C* disse...

Fiz uma pausa no estudo. Chego aqui e dou de caras com esta descrição. Choro. É a primeira vez que me fazes chorar e olha que já te leio há muito, muito tempo. Há pessoas que nasceram para ser grandes, grandes assim. Maiores que qualquer problema que se atravesse à sua frente. Ainda que doa.

Quanto aos bancos de células, a não ser que os critérios mudem até à minha altura, eu também não poderei ser dadora (tenho psoríase), mas emociona-me saber que há quem o poderá e quererá fazer desta forma, que é a única que defendo. Emociona-me sempre saber que há gente boa assim.
"Vou (ali) tocar no sol!" :)

Filipa disse...

Depois de ler este texto fiquei com o coração tão apertado... são assuntos tão sensíveis, sobretudo quando envolvem crianças.

Beijo enorme para ti e para essa mãe e menina lutadora. Fico a torcer por elas!

a mulher certa disse...

Existem mulheres fantásticas... :)

art.soul disse...

100% de acordo.

quando estive grávida não existia banco público. das empresas que ouvi, na altura, não gostei da forma como abordaram o tema e, depois de consultar pediatras e outros profissionais ligados à saúde, optamos por não o fazer. a fazer seria sempre num banco público.

até porque isto das células durarem décadas tem MUITO que se lhe diga...

tudo de bom para ti e para essa família.

teardrop disse...

Fiquei arrepiada. Pela situação, pelo modo que escreveste, pelo sentimento que transmitiste. Grande lição querida Pólo. Porque a nossa vida parece sempre complicada, menos quando nos defrontamos com situações como a que descreveste. Hoje, por te ler, sei que sou uma mulher feliz. Obrigada!

Mamã Petra disse...

Deves a blogger que mais vezes me faz chorar, não que eu seja lamechas ou uma menina chorona a vida encarregou-se de me mostrar aos 7 anos que a vida pode ser uma madrasta má, e hoje recordei-me dessa madrasta má e chorei, ou seja ainda estou a chorar, e tu não és uma cabra insensivel como tu dizes e dizem que eu sou, és uma mulher fantástica com um coração do tamanho do mundo. Obrigada por teres decidido doar ao publico, tenho falado com todas as grávidas que posso nesse sentido, para poder haver mais hipoteses para todos.

Beijinhos

Molly disse...

Bolas, este post deixou-me de rastos...

Mary disse...

Pronto fiquei a chorar com as suas palavras, a Ana vai ter muito orgulho nos pais que tem estou certa disso.

Sérgio disse...

Fod........................
Tu é pessoa para transformar isto numa coisa tipo filho do Carlos Martins. Vamos todos a isso?

Teresa disse...

Por estes textos é que vale a pena passar por aqui.

Ângela Almeida disse...

Um texto que arrepia ...
Todos devemos ser irmãos ... muito bem :)
As maiores felicidades
Beijinho

Fumo Branco disse...

todo o teu texto é um soco no estômago! não serve de nada mas fiquei a torcer para essa "menina de olhos azuis, cabelo louro, 4 anos de gente" encontrar a sorte que lhe tem faltado. só espero que para além de vir aí um mano com saúde (não ter um rim, não é ter falta de saúde e eu que o diga) traga com ele A saúde.

Lima e Tequilla disse...

Faz-nos sem dúvida colocar em prespectiva os nossos "azares" e dias ruins. Lindo post ursa =)

Andreia Santos disse...

Dás cabo de mim mulher. Não há coincidências? a tua Ana já começou a tratar de ser como a mãe, altruísta e ainda não nasceu! Se não fosse a infecção não tinhas feito a diferença para essa menina. Juro que o auge da emoção foi na parte do teu men lhe prometer desenhar a Hello Kitty vê se pode. Isso é a prova provada que o que tem de ser tem muita força. E o melhor post do mundo ainda pode ser alterado? :P Põe-te boa faz favor!

Inês disse...

Estou com as lágrimas nos olhos. E tu e o mámen são grandes. Grandes pessoas e grandes pais!!

Bigodes de Nata disse...

Tu és grande! Grande de alma e de coração!

Eu não sou mãe. Não sei sentir o que sentem as mães mas fiquei aqui a chorar.

Que tudo corra bem, para ti e para quem amas e também para essa menina.

Nem sei o que dizer...


bjs.

Mammy disse...

Sabes Ursa, eu sou cliente habitual do IPO e não há nada lá, que me impressione mais do que ver as crianças passarem por aquilo tudo...
Ainda bem que essa menina estava a rir-se e bem disposta, é sinal que os pais estão a fazer um óptimo trabalho, apesar de todas as dificuldades.
Beijinhos

stiletto disse...

E que todas as crianças que sofrem como essa menina possam encontrar "manos" compatíveis. A tua sensibilidade é admirável. Quando passas um mau bocado, não ficas indiferente ao que se passa à tua volta e trazes até nós esta história que nos toca bem no fundo.

Johnny disse...

Tens um coração enorme.

disse...

Parabéns pela decisão e obrigada por partilhares connosco. E espero não só que a ti te corra tudo maravilhosamente bem, como a essa menina, que merece tudo de bom.

Marisa disse...

Fod@-se! Fizeste-me chorar! Bjinho

Back Door Man disse...

Preferia não ter lido este post. Pelo mesmo motivo que não vejo telejornais. Big boy crying. Não é bonito. Merda para isto......:(

(toda a sorte do mundo para essa gente, que passa esses dramas. Ninguém tão pequenino devia passar por provações dessas....)

casulo disse...

tão lindo o texto Pólo... mesmo lindo...

Manteiga disse...

estou completamente arrepiada . que lindo...

Boneka disse...

tu és enorme! sabes disso, não sabes?
e essa princesa precisava de mais ursas como tu. Se todos os ursos e ursas que populam por este mundo fossem como tu: estávamos safos do egoísmo!

Pólo Norte disse...

Obrigada a todos!

Estou a tentar magicar uma forma de todos os que manifestaram vontade de ajudar, o possam fazer.

Conto dar-vos notícias em breve!

Beijinhos enormes

S* disse...

Acho que a gravidez te fez mais doce... parabéns pelo ser humano que revelas ser.

Tixa disse...

Arrepiei-me toda!!! Oh mundo cruel!!!!


*beijocas

Sara Maurício disse...

Post enternecedor, pleno de humanidade, como já nos tens habituado.
Também eu grávida de 13 semanas já discuti com o Papá esta questão e concordámos em recorrer ao banco público, sendo que também decidimos pelo parto numa maternidade pública, apesar de termos seguro de saúde. Neste caso optámos pela segurança em detrimento do conforto mas respeitamos quem tenha opinião contrário, pois cada qual deve escolher a via com que mais se identifica e que mais tranquilidade lhe transmite.
Um beijinho enorme para a Mamã Ursa, para a pequena Ana e também para o Mámen e restante família.

Rita Varela disse...

Obrigada!
Obrigada por nos lembrares que há meninas e meninos pequeninos e maiores que precisam da nossa ajuda, que eles estão lá mesmo que não apareçam na tv ou nas revistas.
Obrigado por relembrares que é tão fácil ajudar, salvar uma vida.
Obrigada por nos mostrares que é tão mais simples e benéfico não sermos egoístas.
Obrigada por escreveres.
Por último obrigada aos teus leitores, tão amigos que vão ajudar a Bia, sem lhes ter sido pedido nada.
Obrigada.

Rita Varela disse...

Obrigada!
Obrigada por nos lembrares que há meninas e meninos pequeninos e maiores que precisam da nossa ajuda, que eles estão lá mesmo que não apareçam na tv ou nas revistas.
Obrigado por relembrares que é tão fácil ajudar, salvar uma vida.
Obrigada por nos mostrares que é tão mais simples e benéfico não sermos egoístas.
Obrigada por escreveres.
Por último obrigada aos teus leitores, tão amigos que vão ajudar a Bia, sem lhes ter sido pedido nada.
Obrigada.

Eduarda disse...

As da Francisca foram para o Publico sem hesitacao ..

Mary disse...

Sabes aquele nó que nos dá na garganta de quando em vez e nos leva as palavras? "prontos" foi mais ou menos isso agora.
:s
http://so_risoincognito.blogs.sapo.pt/

Katy disse...

Olá!

Obrigada por este post. Não conhecia o teu blog e por mais uma coincidência da vida, cá estou eu a encontrar projetos que me mostram como ainda há pessoas dispostas a ajudar sem nada pedir em troca.

Já pensaste em fazer outro tipo de iniciativas? por exemplo, criar um blog com peças oferecidas por artesãos: pregadeiras, bonecos, etc. Os artesãos ofereciam as peças, estas eram fotografadas e colocadas num blog criado para o efeito, com um valor base de licitação. Se pensares em algo do género, conta comigo e com algumas peças minhas!

Beijinhos!
zarabadim.blogspot.com
nolugarquechamocasa.blogspot.com

CoisasDaGaja disse...

Neste não me contive... Uma (lágrima) escorregou mesmo! Malvada Pólo! Isto não se faz! :p

Em busca do sonho disse...

O Rafa também é candidato a "mano", que eu sempre decidi que as suas células estaminais iriam para o banco público.

E esta história comoveu-me muito e há muitas realidades que nós desconhecemos e às vezes lamentamo-nos de coisas tão banais...

bjinhos nossos

Beu, a Ruiva. disse...

Há vidas muito dificieis.
Comoveste-me com este texto.
Tomaste a decisão mais acertada.
Beijinho grande.

p.s. ah sim ... a HK também não faz as minhas delicias, mas neste caso é por uma excelente causa :)!

Cebolinha disse...

Olá Pólo Norte, tomei conhecimento deste teu post através do blog da Leididi, à pouco mais de um ano o meu sobrinho-neto Afonso, partiu com esta maldita doença depois de um ano intenso de emoções e muito sofrimento. Durante esse ano todos nós, na minha família vivemos em função de campanhas de angariação de dadores juntamente com a família da Carmenzita. Durante o período de doença do Afonso, com trabalho de muitos amigos e desconhecidos, conseguimos todos que a base de dadores portugueses aumentasse de forma bastante satisfatória.
Mas depois do Afonso decidimos não parar e continuar a tentar ajudar na medida em que nos vai sendo possível (uma vez que voltámos todos para Macau), por isso tomei a liberdade de copiar este teu texto para a minha página de Facebook e para as páginas que criámos para a divulgação das várias campanhas.
Também chegará ao meu blog e a onde eu conseguir.
Vi que tens outros posts sobre a Bia, se me permitires virei aqui copiar alguns para partilhar nas minhas redes como forma de alerta e apelo a novos potenciais dadores.

Obrigada e muito boa sorte para Bia, espero que ela consiga encontrar o seu dador e ter a oportunidade de lutar com todas as forças, porque infelizmente o transplante é só mesmo isso, a derradeira hipótese de lutar

Isabel Simões disse...

Tenho de partilhar...

Humildevaidade disse...

torço por esses manos todos sem os conhecer!

LaranjaLima* disse...

Lindo!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...